top of page
  • Foto do escritorSINCERGS

Empregos: é a hora do governo ajudar

A promoção de novos postos de trabalho é uma medida estratégica para tirar as famílias dos abrigos e revitalizar a economia local


27 de junho de 2024


A recente enchente que assolou o estado do Rio Grande do Sul trouxe consequências devastadoras para mais de 2 milhões de pessoas, impactando profundamente não apenas as vidas das famílias diretamente atingidas, mas também a economia gaúcha, que deverá sentir os efeitos desta tragédia por um longo período. Diante deste cenário desolador, é crucial que unamos esforços para promover a criação de novos postos de trabalho como uma medida essencial para retirar as famílias dos abrigos e proporcionar a elas uma nova chance de reconstrução.

A calamidade que enfrentamos exige uma resposta rápida e eficaz. É nesse contexto que a publicação da portaria sobre o auxílio aos trabalhadores pelo Ministério do Trabalho e Emprego se torna um instrumento vital. Esta portaria estabelece regras para que empresas possam aderir ao Apoio Financeiro para trabalhadoras e trabalhadores atingidos pela calamidade no estado, fazendo parte do programa emergencial instituído pela Medida Provisória nº 1.230 de 7 de junho. O auxílio, destinado a empregadores localizados em áreas efetivamente atingidas pela enchente, é um passo significativo para a recuperação econômica e social da nossa região.

A promoção de novos postos de trabalho é uma medida estratégica não só para tirar as famílias dos abrigos, mas também para revitalizar a economia local. Ao garantir emprego e renda, proporcionamos dignidade e autonomia para os cidadãos afetados. As empresas que aderirem a este apoio financeiro, além de contribuírem para a recuperação da nossa sociedade, também se beneficiam ao resgatar e manter seus negócios em funcionamento, fortalecendo o tecido econômico do estado.

É importante ressaltar que a recuperação das áreas atingidas pela enchente não se dará de forma rápida ou simples. No entanto, com a colaboração entre setor público, iniciativa privada e sociedade civil, podemos acelerar este processo. A criação de empregos em setores estratégicos, como construção civil, serviços e agricultura, pode ser o alicerce para uma recuperação sustentável. Programas de qualificação e requalificação profissional também devem ser implementados para preparar a mão de obra local para as novas oportunidades que surgirão. Recentemente, foi veiculado no Jornal Nacional, um dos maiores espaços de mídia do país, a falta de serviços técnicos como mecânicos, chapeadores e pintores, por exemplo. Programas de profissionalização neste momento são uma alternativa para colocar mão de obra qualificada no mercado gaúcho e, como resultado, gerar empregos. A palavra chave além de geração de empregos é treinamento e capacitação dessa mão de obra afetada

A solidariedade é um dos maiores valores do povo gaúcho, e em momentos de crise como este, ela se manifesta de maneira ainda mais intensa. Cada emprego criado, cada oportunidade de trabalho oferecida é um passo em direção à normalidade, um gesto de esperança e resiliência. Nós, do Sindicato dos Administradores do Rio Grande do Sul, estamos comprometidos em apoiar todas as iniciativas que visem a recuperação e a geração de empregos, pois acreditamos que, juntos, podemos superar este desafio e construir um futuro mais próspero para todos.

É preciso que todas as empresas que aderirem ao programa de apoio financeiro, órgãos governamentais, entidades e todo o povo gaúcho se engaje na criação de novos postos de trabalho. É o momento de buscarmos soluções, de forma proativa, por todos agentes da sociedade. Somente através da união e do esforço conjunto conseguiremos reerguer nosso estado e proporcionar às famílias gaúchas a oportunidade de recomeçar com dignidade. Gerar empregos é ajudar as empresas e os trabalhadores, pense nisso!

 

Foto da Capa: Tomaz Silva / Agência Brasil

Mais textos de Jorge Avancini: Leia Aqui.




3 visualizações0 comentário

Kommentarer


bottom of page